"MEMENTO, HOMO, QUIS PULUIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS."


"Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar."


TEMÁTICA

Espaço destinado a apresentação da arte tumular e histórica contidas no Cemitério São Paulo, sem qualquer conotação religiosa doutrinária.

ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de artistas famosos. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história. Este espaço destacará as obras contidas nos cemitério São Paulo, que abrigam uma infinidade de esculturas e obras arquitetônicas, que sem sombras de dúvidas, representam um museu a céu aberto, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério , a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

MÚSICA SITE

7 de dez de 2009

FORTE ' Família - Obra: Ausência (Túmulo do Pão) - Arte Tumular - 03 -Cemitério São Paulo, São Paulo



Pai

Criança e o pão

Vista lareal esquerda

Vista frontal (Note o lugar vazio à esquerda)
ARTE TUMULAR
Base tumular em granito cinza retangular e de forma retilínea. Sobre essa base, em bronze é retratada uma família que foi interrompida pela morte. No cenáculo aparece uma grande mesa com um pão no centro representando a fartura. Do lado direito, sentado sobre um banco está a figura do pai, prostrado e com o corpo arqueado para a frente, mantém os braços apoiado sobre a mesa e com as mãos quase juntas, como se fizesse uma prece. Os seus ombros relaxados e caídos pelo grande momento de dor que está passando, da mesma forma expressa a sua face. Sentado ao seu lado, uma criança, representando o filho, ainda pequeno e de calças curtas, com a cabeça abaixada e apoiada sobre os braços na mesa, expressando o mesmo sentimento que o pai. Na outra ponta da mesa, existe o banco vazio representando a ausência de um ser querido, a esposa e mãe. Abaixo da base tumular está a entrada do tumulo, com um portal em bronze decorado.
O autor mostra em seus trabalhos grande sensação mítica e sensibilidade emotiva.
TÍTULO DA OBRA: Ausência. Também conhecida como túmulo do Pão
AUTOR:Galileo Emendabili (Ancona, Itália, 1898 + São Paulo, 1974)
Escultor, pintor de afrescos e arquiteto italiano, radicado no Brasil, especialmente na cidade de São Paulo. Discípulo, em Roma, de Arturo Dazzi, escultor de nomeada internacional. Recebeu influência de Ivan Mestrovic, notável escultor iugoslavo.
Autor do Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no Ibirapuera, do Monumento a Ramos de Azevedo, na Cidade Universitária e da Igreja de Nossa Senhora da Paz (1940 à 1948) onde trabalhou na parte escultórica e arquitetônica. Fez várias esculturas no cemitério da Consolação. Assinava G. Emendabili, G. EMENDABILI e GALILEO EMENDABILI.
LOCAL: Cemitério São Paulo
               Quadra 27 , Terrenos 7 e 8 (Localizar pela letra J no mapa)
Fotos: commons.wikimédia.org
Descrição tumular: HRubiales
LOCALIZAÇÃO

PERSONAGEM
Família Forte

Nenhum comentário: